Somos CIEE assina acordo com Ministério Público do Trabalho para repasse de recursos

Da esquerda para direita: a supervisora de Inclusão Social do CIEE, Lilene Ruy, a superintendente Executiva Voluntária da Somos CIEE, Maria Nilce Mota, o superintendente Geral, Humberto Casagrande, o procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho em São Paulo, João Eduardo de Amorim, a procuradora Elisiane do Santos e o superintendente Nacional de Atendimento do CIEE, Luiz Gustavo Coppola.

Grupo de 10 a 12 jovens com deficiência passarão a frequentar o ensino superior

A Somos CIEE, associação de voluntários apoiada pelo CIEE, que tem por objetivo o financiamento de bolsas de estudos para jovens, ganhou um reforço no propósito de seguir democratizando o acesso ao ensino superior. Foi assinado na tarde de quarta-feira (11/12), um acordo com o Ministério Público do Trabalho de São Paulo (MPT-SP) com objetivo de promover o acesso à Educação superior a pessoas em vulnerabilidade.

O documento prevê que a Somos CIEE trabalhe com instituições de ensino, desenvolvendo políticas de concessão de bolsas e fazendo o acompanhamento dos aprendizes com deficiência até a graduação. Ao CIEE caberá inserir esses estudantes em seus programas de estágio, com auxílio de empresas parceiras. O documento tem validade de cinco anos, com possibilidade de prorrogação.

“Esperamos que o termo cumpra sua finalidade. A gente vive um momento em que há muitos jovens e adolescentes em situação de vulnerabilidade extrema, não conseguem acesso à educação. É uma maneira de objetivar o melhor acesso desses jovens ao sistema educacional. É um projeto de empregabilidade, pelo sentido mais amplo do termo”, analisou o procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho em São Paulo, João Eduardo de Amorim.

Inclusão de pessoas com deficiência

A Somos CIEE foi criada em 2019, com o propósito de conceder acesso ao ensino superior a jovens em situação de vulnerabilidade, por meio de doações de voluntários. Segundo a superintendente Executiva da Somos CIEE, Maria Nilce Mota, serão inseridos de 10 a 12 jovens com deficiência, a partir de julho de 2020.

“Para este projeto em específico já estamos buscando uma faculdade parceira. Para além disso, o que a gente quer é que essas pessoas sejam bem qualificadas e possam acessar o mundo do trabalho em uma condição mais elevada”, disse, lembrando que atualmente, há aproximadamente 40 bolsistas contando com o apoio da SOMOS CIEE na Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP).

O convênio também prevê a inclusão de jovens em vulnerabilidade socioeconômica, negros, LGBTQI+ e jovens egressos do sistema prisional e população de baixa renda em geral.

A inserção qualificada dos jovens no mundo do trabalho é um ponto importante do projeto, de acordo com a procuradora Elisiane do Santos. “Hoje existe um cenário muito grande de precarização que trás diversas violações de direitos, como por exemplo o trabalho infantil, condições análogas a escravo, ou outras formas de trabalho que não levam em consideração a dignidade da pessoa humana, o valor social do trabalho”, conta.

Conectar

Esqueceu sua senha?

Reportar Abuso

Reportar erro do sistema

Este formulário de contato está disponível apenas para usuários conectados.

O que é o Somos CIEE?

Programa que reúne ex-estagiários, empresas e demais pessoas que tem como objetivo compartilhar conhecimentos, experiências e contribuir para o financiamento de iniciativas educacionais.

Como participar?

Cadastre-se no nosso site, envie seu depoimento por escrito ou em formato de vídeo e motive os mais jovens. Se você é ex-estagiário, vale relembrar uma história curiosa do início da carreira ou falar da experiência adquirida ao longo dos anos.

Quem nós ajudamos?

Nossas ações são voltados para jovens atendidos pelos programas do CIEE com dificuldades para o acesso e participação na educação escolar.